O novo primeiro-ministro, António Costa, participará pela primeira vez num Conselho Europeu já no domingo, numa cimeira extraordinária União Europeia-Turquia sobre migrações, três dias depois da tomada de posse do XXI Governo Constitucional.

Imediatamente após da cimeira de Bruxelas, o novo chefe de Governo português rumará a Paris, na segunda-feira, para o seu segundo compromisso internacional nas novas funções, a abertura da Conferência da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre o Clima, confirmou à Lusa fonte do seu gabinete.

Na passada terça-feira, depois do anúncio da indigitação pelo Presidente da República, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, enviou uma mensagem de felicitações ao líder do PS na qual aproveitava para lhe dar “as boas-vindas ao Conselho Europeu deste domingo”, 29 de novembro, que assinalará a estreia de António Costa em cimeiras de chefes de Estado e de Governo da União Europeia (UE).

No entanto, Bruxelas está longe de ser estranha a António Costa, que no seu percurso político já foi eurodeputado (2004-2005), participou em Conselhos da UE como ministro da Justiça (1999-2002) e da Administração Interna (2005-2007), em muitas reuniões do Comité das Regiões enquanto presidente da Câmara de Lisboa, além das “minicimeiras” do Partido Socialista Europeu nas quais participou nos últimos meses como líder do PS.

Vários ministros do XXI Governo Constitucional também terão a sua “estreia” em palcos europeus poucos dias após tomarem posse, dado terem lugar vários Conselhos de Ministros da UE nas próximas duas semanas.

Agendada está já uma reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO, a 01 e 02 de dezembro em Bruxelas, que deverá ser a primeira em Bruxelas no novo chefe de diplomacia, Augusto Santos Silva, que, todavia, já tem experiência de reuniões tanto na Aliança Atlântica como no Conselho, como ministro da Defesa (2009-2011).

Já na próxima semana realizar-se-ão em Bruxelas Conselhos de Ministros da Competitividade da UE (30 de novembro e 01 de dezembro), no qual Portugal deverá fazer-se representar pelo novo ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e de Justiça e Assuntos Internos (03 e 04 de dezembro), nos quais é aguardada a presença das novas ministras Francisca Van Dunem (Justiça) e Constança Urbano de Sousa (Administração Interna).