O secretário-geral socialista, António Costa, afirmou esta quinta-feira que o PS não vai comentar sondagens e insistiu que este ainda não é o momento para o seu partido se pronunciar sobre as próximas eleições presidenciais.

António Costa assumiu estas posições após ter participado num colóquio no ISCTE, em Lisboa, depois de uma jornalista da CMTV o ter confrontado com uma sondagem feita pela Aximage, hoje publicada no Correio da Manhã e no Jornal de Negócios, dando um empate técnico entre o PS e a coligação PSD/CDS.

"Essa sondagem não me merece nenhum comentário em especial. Nós não comentamos sondagens. Batemo-nos por ter um bom resultado eleitoral e confiamos que vamos ter esse bom resultado", respondeu.

Já sobre a possibilidade de o PS ter eleições primárias abertas a simpatizantes para escolher qual o candidato que apoia para as eleições presidenciais, António Costa não se comprometeu com essa via.

"Os estatutos do PS preveem vários mecanismos [de decisão] e o PS no momento próprio vai pronunciar-se sobre eleições presidenciais, mas não é este o momento", referiu o líder socialista.

Logo a abrir o colóquio sobre "Políticas públicas em 2015", no ISTE, em que teve a companhia do provedor da Santa Casa da Misericórdia, Pedro Santana Lopes, como orador convidado, António Costa usou o humor para se referir à discussão dentro do PSD sobre o próximo candidato presidencial neste setor político.

"Já sou recorrente neste painel aqui no ISCTE e habitualmente costumava ter como interlocutor [o ex-presidente da Câmara do Porto] Rui Rio, mas creio que deve ter um profundo significado político a substituição de Rui Rio por Pedro Santana Lopes", disse.