O primeiro-ministro, António Costa, destacou a confirmação, pelos seus homólogos da União Europeia (UE), da saída de Portugal da lista de países com desequilíbrios macroeconómicos excessivos como o “momento mais importante” do Conselho Europeu de sexta-feira.

O momento mais importante vai ser quando, no Semestre Europeu, for confirmada a saída de Portugal da lista dos países que estão num desequilíbrio macrofinanceiro excessivo”, disse o primeiro-ministro, em declarações à entrada da cimeira.

Costa salientou ainda que na cimeira da zona euro - que se inicia no final do Conselho Europeu, no segundo e último dia da reunião e em que participa ainda o presidente do Eurogrupo, Mário Centeno -, deverá avançar-se “nas questões importantes em matéria da união bancária e da estabilização da zona euro.

Todos temos que trabalhar para que haja decisões concretas em junho”, adiantou ainda Costa.

O primeiro-ministro antecipou ainda para sexta-feira “uma discussão franca e aberta sobre aquilo que deve ser o futuro da capacidade orçamental, que permita financiar o esforço de investimento que é necessário fazer para reforçar a convergência das economias da zona euro, que é o melhor garante de estabilidade para prevenir os riscos de futuras crises”.

O euro merece bem esse esforço de consolidação”, disse.

Os líderes da zona euro chegaram todos à cimeira com um laço branco na lapela com a inscrição “22.3”, para assinalar o segundo aniversário dos atentados no aeroporto e no metro de Bruxelas, que fizeram 35 mortos, incluindo os três bombistas suicidas.