O secretário-geral do PS acusou esta segunda-feira o Bloco de Esquerda de estar "num concurso de sectarismo", com o objetivo de combater o seu partido e não a direita.

"Essa força política está num concurso de sectarismo, verdadeiramente não para combater a direita mas, pelos vistos, para combater o PS"


António Costa comentava, em Lamego, declarações feitas hoje de manhã na rádio TSF pela porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, segundo a qual o BE recusa coligações com o PS. 

"Essa declaração só confirma que quem quer derrotar a coligação de direita e quem não quer lançar o país na incerteza do futuro, sabe que tem que votar no PS", considerou, reiterando que o objetivo do PS é a maioria absoluta.

Na opinião do líder socialista, a postura do BE não é "uma forma construtiva de estar na vida política". "Há partidos que vivem simplesmente para serem partidos de protesto, para estarem nas manifestações", atirou.

Para António Costa, o que justifica que as pessoas estejam na política "é enfrentar e resolver os problemas concretos do país". "Eu não ando na política para proferir palavras. Estou na vida política para resolver os problemas no país. É por isso que me candidato e é aí que estou concentrado".