O XXI Governo Constitucional, do PS, vai tomar posse esta quinta-feira, e vai contar com presenças à esquerda. É certa já a comparência de elementos de dois dos partidos com quem António Costa assinou acordos políticos para apoio parlamentar ao seu Executivo.

Da parte do BE, a porta-voz Catarina Martins irá até ao Palácio da Ajuda. Já no que toca ao PCP, não será o secretário-geral Jerónimo de Sousa, mas sim o líder parlamentar, João Oliveira.

A decisão foi divulgada entretanto por ambos os partidos, com a comitiva bloquista a contar ainda com o presidente do grupo parlamentar, Pedro Filipe Soares, e outro deputado, José Manuel Pureza.

O outro partido envolvido no entendimento da nova maioria de esquerda, o PEV, só vai decidir amanhã, pela manhã, uma vez que tem diplomas importantes para debate no plenário da Assembleia da República, a partir das 15:00, e só dispõe de dois deputados.

Aliás, a hora escolhida por Cavaco Silva para a tomada de posse, às 16:00, no Palácio da Ajuda, exaltou os ânimos esta quarta-feira, no Parlamento, incluindo de socialistas, porque atrapalha os trabalhos parlamentares.

À direita do hemiciclo, o vice-presidente social-democrata Marco António Costa disse à Lusa que sempre que é convidado o PSD faz-se representar. Os sociais-democratas não divulgaram a delegação que fará essa representação. O CDS-PP não respondeu à questão da Agência Lusa sobre a presença e representação na tomada de posse.

Esta é a segunda tomada de posse de Governo, em Portugal, em menos de um mês, uma vez que o Executivo de Passos Coelho e Paulo Portas caiu no Parlamento no passado dia 10 de novembro.