A criação de unidade de missão para a valorização do Interior está prevista no programa eleitoral do PS. E António Costa não só levantou hoje essa bandeira, em Bragança, como a chamou diretamente a si, confiante e já se apelidando de primeiro-ministro. 

"Deve estar diretamente na dependência do primeiro-ministro. Eu assumo-a como uma das minhas funções centrais para o desenvolvimento do país"


Para o secretário-geral do PS, os ministérios devem passar a estar articulados - o que, diz, hoje não acontece - e que cada um deles "tem de ter como prioridade o desenvolvimento do interior e a fixação das populações". 

Hoje, a Juventude Socialista trocou de t-shirs. Desta vez dizem "Eu não quero emigrar". E Costa a eles se dirigiu: "O que queremos dizer a esta nova geração que nos diz que não quer emigrar, é que há uma grande diferença entre nós e o atual Governo, que aconselhou os jovens a emigrar. O que nós dizemos é que não queremos que emigrem. É aqui que queremos viver aqui, e ter um emprego com futuro, com dignidade. É também por isso que é fundamental dar prioridade ao desenvolvimento do interior".

Antes do almoço-comício no Pavilhão Multiusos em Bragança, Costa visitou o Aproveitamento Hidroagrícola no Vale da Vilariça e esteve também à entrada de um pomar de pêssegos.

Os empresários de Santa Comba da Vilariça pediram mais uma barragem para poderem aumentar a produção. E não só: querem uma redução do IRC para as empresas do Interior. 

Costa falou apenas em benefícios fiscais, maior acessibilidade e desenvolvimento turístico para a região.