O eurodeputado socialista Francisco Assis afirmou esta sexta-feira que motivo de polémica seria se o secretário-geral do PS, António Costa, tivesse feito um diagnóstico da situação económica e social a uma plateia de investidores chineses.

Francisco Assis considerou que António Costa «agiu de forma correta e adequada», quando, num evento da comunidade chinesa, o líder socialista agradeceu o investimento chinês, considerando que este contribuiu para que o país esteja numa situação «bastante diferente» de há quatro anos.

«O que seria motivo de polémica e de censura seria se António Costa tivesse ido para um encontro com empresários chineses fazer um diagnóstico do país do ponto de vista da situação económica e social», sublinhou o eurodeputado do PS, que falava em Coimbra à margem de um debate, referindo que esse diagnóstico tem de ser feito e é feito «perante os portugueses».


O eurodeputado considerou a polémica em torno das declarações do líder socialista «completamente ridícula», acrescentando que, naquele contexto, «ninguém esperaria» que António Costa «fosse fazer um diagnóstico do país, sobretudo nos aspetos mais negativos».

«Não há aqui nenhuma contradição entre aquele que tem sido o discurso de análise da situação do país e dos efeitos altamente negativos da governação PSD/CDS e aquilo que [António Costa] disse perante os empresários chineses», defendeu.


Francisco Assis sublinhou também que a «estabilização da zona monetária alterou as circunstâncias em que se pode fazer investimento externo em países como Portugal. Isso mudou e mudou para melhor».