Ascenso Simões, o ex-diretor de campanha do PS, que se demitiu na sequência da polémica dos cartazes com histórias falsas, é cabeça de lista do PS por Vila Real. Ou seja, é candidato a deputado, mas anunciou já, ainda nem as eleições se realizaram, que esta é a sua última campanha. E que se candidatou por amizade.

"Esta é a minha última campanha eleitoral. Aceitei candidatar-me a deputado por uma razão única: porque sou amigo do António Costa há mais de 30 anos. Só ele me faria voltar aqui e a esta luta".


No comício no Largo da Capela Nova, no centro da sua cidade, disse ainda que será a sua última campanha política neste distrito, o que deixa em aberto se é a última campanha, em absoluto, ou só por Vila Real.

De qualquer modo, diz que está na corrida a estas legislativas, porque conhece e confia em António Costa, não tendo dúvidas de que o país "terá o melhor primeiro-ministro de todos". 

"Não é só amizade. É o testemunho de alguém que recebeu de António Costa exempos de solidariedade e amizade. É nestas alturas que temos de dizer que temos de estar presente", rematou.

Antes, já tinha discursado Augusto Santos Silva, a primeira grande figura do partido nesta campanha eleitoral, para além do líder. António Costa, o último, provocou risos na plateia, depois de uma dedicatória a Ascenso Simões, dizendo que são amigos há mais de 30 anos e que, com ele, aprendeu a ler os versos de Miguel Torga e a ver " a maravilha do Vale do Douro e porque é que o douro inspira vitória".

"Aprendi com o Ascenso que um bom vinho tinto da adega de Santa Marta é um grande vinho tinto. Aprendi com o Ascenso que havvia palavras que eu não e aquilo que eu chamava guarda-chuva afinal chama-se chusso".