O secretário-geral do Partido Socialista (PS), António Costa, considerou hoje que os resultados das eleições da Madeira «não têm dimensão nacional», vincando que se trata de um ato eleitoral com «causas próprias».

«As eleições regionais são eleições regionais. O PS já ganhou eleições nos Açores, perdendo no país. Já ganhou eleições no país, perdendo na Madeira. São eleições completamente distintas, não têm dimensão nacional», disse António Costa.

O líder socialista falava durante o período reservado a perguntas no debate do Clube dos Pensadores que decorreu esta noite em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, durante o qual, tendo sido confrontado pela audiência com o facto de, aquando das eleições Europeias, ter contestado a liderança do seu antecessor, António José Seguro.

«Isto significa que precisamos de um novo líder para o PS ou o senhor demite-se totalmente daquilo que aconteceu ontem?», foi a pergunta, à qual António Costa respondeu: «São eleições distintas. Têm causas próprias. As eleições regionais não têm repercussões nacionais».

Os jornalistas, António Costa escusou-se a responder a perguntas, quer antes, quer a seguir ao debate.
O PSD/Madeira, liderado por Miguel Albuquerque, alcançou no domingo a sua 11.ª maioria absoluta consecutiva nas eleições legislativas regionais, as primeiras sem Alberto João Jardim.

O partido alcançou 44,33% dos votos e 24 dos 47 deputados eleitos, menos um do que nas últimas eleições. A 09 de outubro de 2011, as últimas eleições em que Alberto João Jardim participou, o PSD obteve 48,56% dos votos.

Nas eleições de domingo, o CDS/Madeira elegeu sete deputados, a coligação Mudança (PS/MPT/PTP/PAN) seis, o partido Juntos pelo Povo cinco, a coligação PCP-PEV dois, tal como o Bloco de Esquerda, e o PND elegeu um deputado.

Na sequência dos resultados eleitorais, na noite das eleições, o cabeça de lista da coligação Mudança (PS/PTP/MPT/PAN) às legislativas madeirenses, Victor Freitas, anunciou a sua demissão como líder do PS regional.

Também domingo, após ser conhecido o resultado das eleições, o Secretariado Nacional do PS considerou, através de Porfírio Silva, membro da direção nacional, que a coligação «Mudança», liderada pelos socialistas madeirenses, ficou aquém dos objetivos do partido nas eleições regionais da Madeira, recusando uma leitura nacional dos resultados do ato eleitoral.