O PSD anunciou esta terça-feira que vai pedir esclarecimentos ao Governo sobre a falta de médicos anestesistas no centro hospitalar sediado em Vila Real, uma situação que está a levar ao adiamento de 30% das cirurgias.

As notícias sobre o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) são alarmantes e aumentam a nossa preocupação relativamente a esta unidade hospitalar”, afirmou à agência Lusa o deputado social-democrata Luís Ramos.

O alerta para a falta de recursos humanos no CHTMAD foi lançado hoje pelo Conselho Regional do Norte da Ordem dos Médicos (CRNOM) e o Sindicato Independente dos Médicos – Norte.

Após uma visita ao hospital de Vila Real, a ordem e o sindicato falaram numa “situação insustentável”, destacando como área “mais crítica” o serviço de anestesia, para onde é preciso um reforço “imediato de pelo menos 14 anestesistas”.

O presidente do CRNOM, Miguel Guimarães, referiu que, em média, nos últimos quatro meses, foram “adiadas mais de 30% das cirurgias”, ficando estas praticamente reduzidas às oncologias.

Este responsável disse ainda que “uma percentagem já significativa” do serviço da área de anestesiologia, nomeadamente no serviço de urgência e em alguns tempos operatórios, está a ser “assegurada por médicos tarefeiros” e frisou que a falta de especialistas nesta área poderá “ter também consequências dramáticas na formação médica especializada”.

Luís Ramos afirmou à agência Lusa que vai interpelar o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, através da Assembleia da República, sobre a falta de médicos, os atrasos nas cirurgias e quer saber quando é que este problema vai ser resolvido.

E da mesma forma que o Governo mobilizou médicos de Bragança para resolver um problema no Algarve, esperamos que o Governo encontre rapidamente uma solução, nomeadamente mobilizando médicos do Porto ou de Lisboa para sanar este adiamento inaceitável de cirurgias no CHTMAD”, afirmou o parlamentar.

Luís Ramos disse ainda ter sido confrontado com queixas de utentes e de profissionais que trabalham naquela unidade de saúde sobre a falta de material médico, pelo que acrescentou que vai também questionar o ministro sobre esta matéria.

O PSD quer ainda esclarecimentos sobre as obras anunciadas pelo Governo para o Hospital da Régua, que encerrou em março após ter sido detetada ‘legionella’ na rede de água.

Um mês depois do fecho, o secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, anunciou que aquele hospital iria reabrir “tão cedo quanto possível” e após obras de requalificação.

Luís Ramos quer saber para quando estão previstas as obras e quando é que aquela unidade hospitalar irá reabrir.

O deputado questiona ainda o Governo sobre as obras de cerca de um milhão de euros previstas para o hospital de Chaves.

Mais do que preocupados com a atração de investimentos privados na área da saúde, estamos é interessados em defender o nosso centro hospitalar e o Serviço Nacional de Saúde”, salientou o parlamentar.

A Câmara de Vila Real anunciou segunda-feira ter aprovado o projeto para a construção de um edifício destinado a um hospital privado que poderá ter 31 quartos com 58 camas, áreas de urgência e 60 consultórios.