O candidato à Câmara de Loures pelo PSD nas autárquicas de domingo, André Ventura, confirmou esta quarta-feira estar disponível para concorrer à liderança do partido caso Luís Montenegro ou Paulo Rangel não o façam.

Em declarações à Lusa, após o anúncio do líder do PSD, Pedro Passos Coelho, de que não se vai recandidatar, André Ventura mostrou-se disponível para avançar, mas foi sobretudo crítico do eventual candidato Rui Rio.

Na minha ótica, Rui Rio não pode nem deve ser o próximo líder. Sinceramente espero que Luís Montenegro ou Paulo Rangel avancem porque este é o seu momento”, afirmou, deixando em aberto a possibilidade de ele próprio avançar: “Se ninguém for contra o Rui Rio. Agora o que acho importante sublinhar é que o PSD não pode ter a passadeira vermelha”, concluiu.

Nós [PSD] não podemos ser um partido de passadeira vermelha, que agora abre completamente as portas e recebe em ombros aqueles que nos últimos anos andaram a criticar, a atacar e a boicotar o trabalho interno, quer da liderança quer dos milhares de candidatos autárquicos por todo o país”, afirmou.

Na terça-feira à noite, o antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes assumiu a hipótese de uma eventual candidatura. Esta quarta-feira, o ex-líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, admitiu igualmente estar a ponderar uma eventual candidatura à liderança do PSD.

Nas eleições autárquicas de domingo, o PSD perdeu oito lideranças de câmaras municipais, ficando com 98 presidências (79 sozinhos e 19 em coligação), mas em termos de votos e percentagem quase não houve variações, tendo conseguido, sozinho, 16,08% dos votos (em 2013 foram 16,70%).