A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, anunciou este domingo, em Torres Vedras, que o Governo vai comprar dois meios aéreos para o combate aos incêndios florestais.

«O Governo iniciou esta semana o processo que levará à aquisição pelo Estado Português de dois meios aéreos, pesados, anfíbios de asa fixa, para combate a incêndios florestais», afirmou Anabela Rodrigues, durante a tomada de pose dos órgãos da Liga Portuguesa de Bombeiros, para os próximos três anos.

A governante adiantou que a aquisição daqueles equipamentos «será possível com recurso a financiamento europeu e foi ponderada de forma a permitir que os respetivos fundos continuem a estar disponíveis para outras áreas de equipamento dos bombeiros».

O presidente da Liga, Jaime Marta Soares, sublinhou a necessidade de a lei do financiamento dos bombeiros entrar em vigor com rapidez, para resolver o problema da falta de sustentabilidade financeira de muitas corporações e, com isso, melhorar a resposta de socorro às populações.

Sem apontar prazos e sem responder aos jornalistas, Anabela Rodrigues afirmou, durante o seu discurso, que «o trabalho está concluído no que diz respeito ao financiamento pela administração central, representando um aumento do financiamento em mais de 10%, estando neste momento em curso um esforço final de negociação com a Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP)» para responderem também ao financiamento.

À alegada falta de respostas da ANMP, o presidente da Liga mostrou-se «estupefacto» e disse que irá sensibilizar os autarcas para a necessidade de assumirem a sua «responsabilidade» e financiamento por terem competências de Proteção Civil.

«Não sei o que é que os municípios portugueses estão à espera ou o que pretendem, a menos que queiram que se extinguem os bombeiros voluntários em Portugal. Espero que não seja isso que irá acontecer, mas se não houver uma resposta tão rápida quanto necessária e urgente, a Liga dos Bombeiros Portugueses não deixará de dar a conhecer aos portugueses esta atitude. Nós somos soldados da paz, mas não deixaremos de fazer guerra a quem nos tira a paz em que queremos viver», sublinhou Jaime Marta Soares.

«A esmagadora maioria dos municípios não financia ou financia muito pouco os bombeiros», alertou.

A liga dos Bombeiros Portugueses pediu a reforma da lei orgânica do Instituto Nacional de Emergência Médica e da Autoridade Nacional da Proteção Civil de modo a englobar os bombeiros nas decisões, bem como a criação do cartão social do bombeiro e do Observatório Nacional para os Incêndios Florestais.

A ministra da Administração Interna respondeu que também é intenção do Governo criar esse observatório, enquanto «espaço de reflexão, análise, diálogo e partilha constantes, na busca das melhores soluções em três áreas fundamentais: prevenção, fiscalização e combate».

Quanto ao cartão social do bombeiro, Anabela Rodrigues manifestou «disponibilidade para analisar e discutir» uma proposta a ser apresentada pela Liga dos Bombeiros Portugueses.