A eurodeputada socialista Ana Gomes criticou, nesta quarta-feira, a presença de José Sócrates num evento institucional do PS e acusou a federação de Lisboa do partido de conivência com as “efabulações” do ex-primeiro-ministro.

Vejo o convite com preocupação, porque vem de setores que acham que a imagem de José Sócrates é recuperável. E eu acho que ela é extremamente danosa para o PS e para o país, e tem de ser o PS o primeiro a reconhecê-lo e não o contrário”, disse à agência Lusa Ana Gomes, que se encontra na Suécia ao serviço do Parlamento Europeu.

Para a eurodeputada, o PS tem de esperar que a justiça “faça o seu caminho” mas não pode deixar de fazer um “juízo extremamente negativo” sobre tudo aquilo que se conhece em relação ao que chamou “efabulações” de José Sócrates, arguido da “Operação Marquês”.

O ex-primeiro-ministro José Sócrates vai estar presente pela primeira vez num evento institucional do PS desde que foi detido e constituído arguido, em 2014, no âmbito da Operação Marquês.

Sócrates vai estar numa conferência organizada pelo Departamento Federativo das Mulheres Socialistas de Lisboa da FAUL (Federação da Área Urbana de Lisboa do PS) na próxima sexta-feira.

Eu não sei o que é que a direção do partido tem a dizer sobre isto. Eu não quero acreditar que a direção do PS tenha tido conhecimento e tenha dado luz verde à iniciativa da FAUL mas eu critico fortemente a FAUL. Acho que é um mau serviço ao partido e ao país”, sustentou.

A eurodeputada do PS considerou que José Sócrates “construiu e deixou construir uma fábula” sobre a sua fortuna familiar, “que não existia”, para esconder que era financiado por um amigo, o que declarou ser particularmente grave, sobretudo tratando-se de um ex-secretário-geral do PS e antigo primeiro-ministro.

Independentemente do caso que está na justiça, e eu sou crítica pela demora na formulação de uma acusação que até provocou a prisão preventiva, aquilo que José Sócrates já admitiu publicamente em relação às acusações que estão em investigação é extremamente grave sobre a falta de idoneidade do personagem”, argumentou Ana Gomes, acrescentando que o convite ao antigo primeiro-ministro alinha com as “efabulações” do ex-secretário-geral do PS.

“Terão de ser o mesmo tipo de pessoas que alinham no mesmo tipo de esquemas e efabulações, para não dizer pior, que estão interessadas em recuperar a imagem de José Sócrates e em voltar a associá-lo com o partido”, acusou a eurodeputada.

No dia 23, o ex-primeiro-ministro vai falar sobre “Política Externa e Globalização”, segundo o programa da “Universidade de Verão” do Departamento Federativo das Mulheres Socialistas de Lisboa (DMFS), que vai decorrer em Lisboa.