O Bloco de Esquerda (BE) alertou este domingo para o peso da emigração nos números da abstenção das eleições autárquicas.

«A emigração de setores significativos da população, obviamente votantes», contribui decisivamente para os valores previstos, referiu aos jornalistas a bloquista Ana Drago.

A candidata pelo partido à Assembleia Municipal de Lisboa reagia no Cinema São Jorge, em plena Avenida da Liberdade, às projeções para a abstenção reveladas pelas 19:00.

Ana Drago alertou também para o «milhão de eleitores fantasma» existentes nos cadernos eleitorais e que, «sucessivamente», trazem «um peso à abstenção que não corresponde realmente aos números da abstenção».

No São Jorge, espaço escolhido para acompanhar a noite eleitoral, encontravam-se já pelas 19:25 algumas figuras do BE, como a coordenadora Catarina Martins e a eurodeputada Marisa Matias.

O ambiente era ainda de alguma tranquilidade, com dezenas de apoiantes à espera dos resultados do sufrágio local.

Em 2009, a abstenção foi de 41 por cento, a mais alta de sempre em eleições autárquicas, segundo dados da Direção Geral da Administração Interna.

Este domingo, a afluência às urnas até às 16:00 situou-se nos 43,43 por cento, abaixo dos valores registados nas anteriores eleições autárquicas.