O dirigente socialista Álvaro Beleza confirmou esta quarta-feira que vai estar presente na reunião de sábado da Comissão Nacional do PS, que motivou o adiamento de um almoço entre vários socialistas na Mealhada, mas apontou o “nervosismo” da direção socialista.

"A Comissão Nacional vem responder a um pedido que já tinha feito nas comissões políticas, mas [a direção do PS] revela velhos tiques de receio de debate interno e nervosismo"


O socialista, que falava à agência Lusa, vai estar na Comissão Nacional por “sentido de dever e responsabilidade” mas lembra que a reunião foi marcada para um dia em que já se sabia publicamente que existiria um encontro entre socialistas na Mealhada promovido pelo eurodeputado e ex-líder parlamentar do PS Francisco Assis.

O socialista Álvaro Beleza, que integrou a direção do PS de António José Seguro e foi um dos responsáveis pela transição entre essa liderança e a de António Costa, falava sobre o almoço de militantes, organizado pelo eurodeputado Francisco Assis, que se opõem a um Governo de "frente de esquerda", que se iria realizar no sábado, na Mealhada. 

O encontro de sábado, adiantou Álvaro Beleza, ia já com cerca de 300 inscritos. A 'corrente' contra o acordo à esquerda tem aquecido as hostes no partido.

O socialista reitera todavia que o pedido para a existência de uma Comissão Nacional do PS havia já sido feito nas várias Comissões Políticas Nacionais que se realizaram desde as eleições legislativas de 04 de outubro.

Logo na própria noite das eleições, Beleza havia realçado que uma Comissão Política era "poucochinho" para o momento do PS, que perdeu o sufrágio para a coligação PSD/CDS-PP.

Na sequência do último congresso nacional do PS, em novembro do ano passado, Francisco Assis - que avançou com a ideia do almoço entre militantes na Mealhada - abandonou todos os órgãos partidários.

Caso não haja uma abertura especial à participação nas duas reuniões de deputados e eurodeputados do PS, Francisco Assis deverá estar ausente tanto da Comissão Nacional de sábado, como da Comissão Política de domingo, onde serão discutidos os resultados das conversações entre socialistas, PCP e Bloco de Esquerda para a formação de um Governo alternativo de esquerda.

Francisco Assis disse hoje à Lusa que decidiu cancelar o encontro da Mealhada "em nome dos superiores interesses do PS e da discussão nos órgãos do partido".

"Obviamente que a Comissão Nacional do PS, até pelo tema em debate, teria de se sobrepor ao nosso encontro [da Mealhada]. Sempre disse que era desejável debater na Comissão Nacional do PS a atuação do partido após as últimas eleições legislativas", frisou.

Francisco Assis fez ainda questão de referir que alguns dos participantes no encontro da Mealhada são também membros da Comissão Nacional do PS, o que reforçou a sua decisão de cancelar o almoço da Mealhada.

Neste encontro, o ex-líder parlamentar do PS preparava-se para lançar uma corrente interna de militantes e simpatizantes socialistas que discordam de uma viragem à esquerda deste partido, principalmente, através da celebração de um acordo de Governo com o PCP e o Bloco de Esquerda.

Este setor do PS, pelo contrário, entende que os socialistas, na sequência dos resultados das últimas eleições legislativas, deveriam ser "oposição responsável" a um Governo PSD/CDS.