O líder parlamentar do PS, Alberto Martins, afirmou este domingo que a coligação governamental ficou reduzida à expressão mínima «impensável», colocando-se um sério problema por se desconhecer quanto valem agora o PSD e o CDS separados.

«Estamos sem saber quanto vale o PSD e quanto vale o CDS. A coligação de direita vale menos de 30 por cento em Portugal», declarou Alberto Martins aos jornalistas, depois de sustentar que o PS obteve «uma vitória significativa» nas eleições para o Parlamento Europeu.

Alberto Martins, no entanto, deixou para o secretário-geral do PS, António José Seguro, a questão sobre as consequências políticas que os socialistas retiram do resultado eleitoral.

«A vitória expressiva do PS mostra que há um enorme descontentamento em relação ao Governo na sociedade portuguesa e que os portugueses estão consonantes com uma ideia de mudança», frisou o presidente do Grupo Parlamentar socialista.

Interrogado sobre o facto de apenas terem votado cerca de 35 por cento dos portugueses, Alberto Martins respondeu: «Na democracia os votos que são contados são os que se exprimem».

«A direita, com dois partidos coligados, está reduzida a uma expressão impensável. De todas as eleições políticas há leituras políticas», acrescentou.