O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, escreveu, esta segunda-feira, ao ex-ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, expressando a sua solidariedade e o seu «exemplo de dignidade cívica».

«Em nome do Governo Regional da Madeira, do PSD deste arquipélago e em meu nome pessoal, expresso a Vossa Excelência toda a nossa solidariedade, amizade e respeito», escreveu Jardim na missiva enviada a Miguel Macedo e divulgada pela presidência do executivo madeirense.

Na mesma carta, o líder madeirense agradece ao ex-ministro «o apoio que sempre deu à Região Autónoma» e realça «o exemplo de dignidade cívica dado aos portugueses».

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, demitiu-se no domingo, considerando que a sua autoridade, enquanto governante, estava diminuída.

Numa declaração lida no Ministério da Administração Interna, Miguel Macedo disse não ter «qualquer responsabilidade pessoal» no caso de atribuição alegadamente fraudulenta de vistos dourados, que está a ser investigado no âmbito da Operação Labirinto, mas reconheceu que não tinha condições políticas para se manter no cargo.

Algumas pessoas com relações pessoais e profissionais a Miguel Macedo estão a ser averiguadas no âmbito dessa operação policial.

Em reação, BE e PCP consideraram que esta demissão é um sinal de fim de ciclo político, reclamando eleições antecipadas, enquanto o PS disse que a «atitude digna» do ministro contrasta com a «falta de lucidez» do primeiro-ministro, acrescentando que o governo sai debilitado.

Os partidos que suportam o governo salientam a dignidade da atitude do ministro da Administração Interna e reiteram que a Procuradoria-geral da República informou que nenhum governante está a ser investigado judicialmente sobre o caso de atribuição de vistos dourados.