Alberto João Jardim inaugurou esta sexta-feira, no Funchal, uma unidade de saúde para pessoas com perturbação mental aguda, onde destacou o papel das ordens religiosas em época de «crise generalizada».

«O que seria do país se não fossem estas ordens religiosas?», questionou Alberto João Jardim, referindo-se à Ordem Hospitaleira de São João de Deus que investiu 3,1 milhões de euros na requalificação e ampliação do Edifício São José, onde está instalada a unidade para doentes mentais agudos e subagudos.

«O trabalho da Ordem na Madeira é notável e eu sei que esta unidade é uma das melhores do país e da Europa», disse o chefe do executivo, salientando o facto de o investimento ter sido feito numa época de «crise generalizada».

A nova estrutura integra o complexo da Casa de Saúde de São João de Deus, localizado no sítio do Trapiche, onde a ordem se instalou há 90 anos.

As obras do Edifício São José foram financiadas em 1,5 milhões de euros pela União Europeia.

«A inauguração desta unidade reflete a preocupação permanente da Ordem em prestar os melhores cuidados técnicos e humanos aos doentes e suas famílias», afirmou Vítor Lameiras, superior provincial da Província Portuguesa da Ordem Hospitaleira São João de Deus.

O responsável garante que a unidade está ao nível do melhor que se preconiza para aquele tipo de doenças, mas salientou que a Ordem não vive apenas da renovação de estruturas, como também da introdução de novos métodos de assistência de modo a melhorar a qualidade de vida dos mais frágeis.

A Casa de Saúde São João de Deus trata anualmente cerca 600 doentes e, segundo o diretor, João Eduardo Lemos, desenvolve um modelo assistencial de proximidade, envolvendo sempre as famílias no processo de tratamento dos doentes.

O bispo do Funchal, D. António Carrilho, destacou a importância desse método, salientando que a pessoa doente é um «todo na relação com Deus e com os outros».

«A pessoa doente tem a necessidade de ser tratada e cuidada nas suas doenças orgânicas e mentais e nas suas dimensões espirituais e religiosas, tal como procureis fazer nesta casa», realçou o prelado.

A propósito das comemorações do 90.º aniversário da ordem hospitaleira na região, que têm decorrido em 2014, foi também apresentado hoje, na Universidade da Madeira, o livro «História da Casa de Saúde S. João de Deus na Madeira», de Aires Gameiro.