Alberto João Jardim quer ser candidato às eleições presidenciais do próximo ano. O ex-presidente do governo regional da Madeira admitiu hoje aos jornalistas que para avançar é preciso reunir duas condições. A primeira é ter 10.000 assinaturas, em vez das 7.500 que a lei exige. A segunda condição é ter meios de financiamento. "Não enriqueci na política", afirmou.

O antigo líder do PSD da Madeira sabe que se decidir avançar para a corrida a Belém, não vai contar com o apoio do seu partido.