Alberto João Jardim, líder do PSD-Madeira, acusou, esta quinta-feira, os partidos vencedores da maioria das câmaras da região autónoma de comprarem os votos que levaram à primeira derrota do PSD na região nos últimos 38 anos.

Em comissão política, Jardim falou, por exemplo, em viagens oferecidas em troca de sufrágios, mas também em casos mais simples, como o «pacote de leite», que ironizou, «em alguns casos ainda por cima estavam fora de tempo».

O presidente do Governo regional da Madeira deixou, ainda, claro que desconfia do desafogo financeiro que alguns partidos manifestaram durante a campanha. «Houve partidos a dispor de quantidades de dinheiros imensas traduzidos em gorjetas em pagar viagens e etc. e que feitas as contas não têm tesouraria para isso, nem logística para isso e, portanto, há aqui um mistério de onde é que vêm esses dinheiros» disse.

Jardim reafirmou que este desaire eleitoral não justifica a sua demissão e que a comissão do PSD vai propor a expulsão de alguns militantes do partido que para as eleições de domingo se tenham candidatado ou feito campanha por outras fações eleitorais.