O ex-ministro da Justiça Alberto Costa é o primeiro signatário de um apelo subscrito por 200 militantes do distrito de Leiria que pedem ao líder do PS a marcação de um congresso extraordinário e declaram apoio a António Costa.

«A gravidade da situação portuguesa exige alternativas políticas robustas e não apenas a ambição de ganhar eleições a qualquer preço e o PS tem o dever patriótico de se abrir ao país e à discussão dos problemas nacionais sem se encerrar em trincheiras formalistas», lê-se no documento, a que a Lusa teve acesso. No mesmo documento, apela-se ao secretário-geral e à Comissão Nacional para que seja convocado um congresso extraordinário «onde a voz dos militantes e do país se faça ouvir e as várias propostas políticas para o futuro discutidas».

Na missiva, os subscritores consideram que «os militantes socialistas e todos os que se reveem» no partido «não podem continuar a assistir passivamente à degradação da vida política nacional e ao desânimo de muitos cidadãos que não veem alternativa no quadro atual dos partidos com vocação governativa e começam a alimentar soluções populistas e radicais».

Para os subscritores, as eleições europeias são a «prova evidente de que a maior parte dos portugueses» não se sentiu mobilizada para exercer o seu direito de voto, não sendo «abusivo concluir que as propostas políticas apresentadas» não foram «suficientemente apelativas para gerar maior participação e empenho nas eleições».

«O PS ganhou as eleições, mas não ganhou o país e a atual liderança não compreendeu que era chegada a hora de fazer um balanço realista da situação interna e externa e tirar as conclusões que se impõem», acusam os subscritores. Os mesmos subscritores sublinham que «o PS pode parecer ganhador, mas não mobilizou suficientemente a sociedade portuguesa contra as soluções de Governo».

Nesse sentido, os militantes saúdam a iniciativa do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, que anunciou disponibilidade em avançar para a liderança do partido, ao apresentar-se ao país «com espírito de serviço e disposto a assumir as suas responsabilidades, liderando um movimento de renovação política que devolva ao partido», mas, sobretudo, aos cidadãos «a confiança perdida e se constitua como uma alternativa mobilizadora, forte e credível, com condições de sucesso nas próximas eleições legislativas».

O segundo signatário deste apelo é o professor universitário João Bonifácio Serra, ex-chefe da Casa Civil de Jorge Sampaio quando foi Presidente da República.

Entre os 200 nomes estão também os do antigo secretário de Estado da Proteção Civil e ex-governador civil de Leiria, José Miguel Medeiros, os atuais presidentes das câmaras de Porto de Mós, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, o vice-presidente do município de Leiria ou os presidentes das assembleias municipais de Leiria, Porto de Mós e Castanheira de Pera.

Antigos presidentes de Câmara, como Luís Monterroso (Nazaré), Álvaro Órfão (Marinha Grande), Fernando Manata (Figueiró dos Vinhos) e Júlio Henriques (Castanheira de Pera) figuram também entre os subscritores.

Na quarta-feira, o presidente da Federação Distrital de Leiria do PS, João Paulo Pedrosa, declarou apoio a António José Seguro, no mesmo dia em que a Concelhia de Pedrógão Grande anunciou estar do lado de António Costa.