A secretária-geral do ministério do Ambiente demitiu-se na sequência da investigação aos vistos gold, noticia a TVI24. O pedido de demissão foi «prontamente aceite» pelo ministro Jorge Moreira da Silva, segundo um comunicado do seu gabinete.

Albertina Gonçalves é sócia do ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, num escritório de advogados. No cargo do ministério ficará «imediatamente» Alexandra Carvalho.

Recorde-se que quinta-feira, onze pessoas foram detidas, incluindo o diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Manuel Jarmela Palos, o presidente do Instituto dos Registos e Notariado, António Figueiredo, e a secretária-geral do Ministério da Justiça, Maria Antónia Anes, por suspeitas de crimes de corrupção, tráfico de influências, peculato e branqueamento de capitais, na atribuição de vistos gold.

Os detidos serão deverão começar a ser ouvidos esta sexta-feira à tarde no Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa, pelo juiz Carlos Alexandre.

A  TVI24 sabe que, quinta-feira, foram feitas buscas no Ministério do Ambiente, no gabinete da sua secretária-geral. Entretanto, a tutela também confirmou: «O Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia confirma que decorreram buscas no Gabinete de Albertina Gonçalves, Secretária-Geral do MAOTE». 

Após algumas notícias darem conta do eventual envolvimento de membros do Governo no caso em investigação, a PGR esclareceu a questão através de um comunicado: 

«Foram também realizadas seis dezenas de buscas em vários pontos do país, incluindo nos ministérios da Administração Interna, da Justiça e do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia. Estas buscas destinaram-se à recolha de informação relacionada com departamentos, serviços e funcionários daqueles ministérios e não visavam membros do governo»


Esta acaba por ser a primeira demissão relacionada com a mega operação da Polícia Judiciária.