O Parlamento Europeu (PE) aprovou esta terça-feira um relatório do eurodeputado Pedro Silva Pereira (PS) defendendo que os países da União Europeia (UE) reconfirmem o compromisso de afetar 0,7% do rendimento nacional bruto à ajuda ao desenvolvimento.

No relatório, aprovado pelo plenário do PE com 582 votos a favor, 79 contra e 28 abstenções, pede-se ainda a definição de um calendário credível até 2020 para atingir o objetivo proposto.

"O apoio expressivo que o meu relatório teve no PE permite dirigir uma forte mensagem política à Comissão, ao Conselho, aos Estados-membros quanto aos compromissos que a UE deve assumir em matéria de desenvolvimento e que vão ser decididos muito proximamente”, considerou Silva Pereira, em declarações à Lusa.


O eurodeputado aludiu ainda ao “drama do Mediterrâneo”, salientando que “nos lembra que precisamos de investir mais no desenvolvimento dos países de origem destes fluxos migratórios desesperados”.

O relatório aprovado é o contributo do PE para a definição da posição negocial da UE na Terceira Conferência Internacional sobre Financiamento para o Desenvolvimento, que terá lugar em Adis Abeba, na Etiópia, de 13 a 16 de julho.