O ex-Presidente da República Mário Soares, hoje distinguido personalidade do ano pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal, realçou que é «um otimista» e, por isso, tenciona viver até «ver o fim da crise».

Surpreendido com o anúncio, Mário Soares, que é sócio honorário da Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal, e estava entre os convidados da festa de natal dos correspondentes internacionais e suas famílias, nos Paços do Concelho, em Lisboa, dirigiu umas breves palavras para agradecer a distinção.

«A verdade é que os anos são muitos e as pessoas vão pensando ¿este pode morrer de um dia para o outro¿, mas eu estou a fazer tudo para que isso não aconteça, porque sou um otimista e quero ver o fim da crise», prometeu.

A Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal entendeu distinguir o ex-chefe de Estado como «personalidade do ano» pelo «importante papel» que tem desempenhado na democracia portuguesa e, mais concretamente, pela «enérgica atividade» que manteve durante o ano de 2013.

«Acho que eu não mereço tanta honra, mas, se assim entenderam, tenho que agradecer», disse, opinando que «havia outras pessoas muito mais interessantes» para distinguir.

À saída, questionado pelos jornalistas, o ex-chefe de Estado evitou fazer comentários sobre a atualidade política.

Antes de anunciar a distinção, a presidente da Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal, Belén Rodrigo, destacou que Mário Soares «tem feito muito por Portugal e tem sido muito ativo».

A correspondente dos jornais espanhóis ABC e As aproveitou para recordar que, apesar de haver «muita notícia para dar», 2013 «tem sido um ano difícil também para os correspondentes» internacionais em Portugal, muitos dos quais «trabalham com muitas dificuldades» e em regime de colaboração.

O prémio Personalidade do Ano/Martha de la Cal 2013 será entregue formalmente a Mário Soares numa cerimónia a realizar-se no próximo ano, anunciou Belén Rodrigo.