O ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, classificou esta segunda-feira de “momento histórico” a inauguração do internato feminino no Colégio Militar, em Lisboa, sendo um momento que assinala “uma nova etapa” desta instituição de ensino.

“Acho que é um momento que assinala uma nova realidade para o Colégio Militar, acabou-se um preconceito de discriminação de género que perdurou durante muitos anos, é uma nova etapa deste estabelecimento que vai garantir seguramente que no futuro haja mais oportunidades, quer para meninas, quer para meninos, num espírito são de convívio”, disse aos jornalistas o ministro da Defesa.

Aguiar-Branco inaugurou esta segunda-feira à tarde o edifício do internato feminino no Colégio Militar, investimento orçado em cerca de 1,8 milhões de euros, e que este ano letivo vai acolher 100 alunas.

O ministro adiantou que o Colégio Militar vai manter “os mesmos valores de sempre”, que “estão muito para lá do mero interesse da defesa nacional ou da estrutura nacional, porque daqui nascem homens e mulheres que amanhã serão os dirigentes do país nas diversas áreas da sociedade civil”.

Aguiar-Branco afirmou que “existe uma vontade renovada” em frequentar o Colégio Militar, destacando que “há um aumento relativamente ao início da reforma de cerca de 30%”.

“Muitas meninas a quererem preencher as vagas que estão disponíveis, significa que, quer do ponto de vista das instalações, que já foram criadas e já estão absolutamente preenchidas, quer da vontade de ter este tipo de formação diferente, mas com valor acrescentado pela parte que são os valores militares, é um sucesso.”


Aguiar-Branco disse ainda que “mais difícil do que construir o edifício foi acabar com os preconceitos”.

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Defesa, os dois estabelecimentos de ensino militar têm atualmente 965 alunos, dos quais 704 frequentam o Colégio Militar e 261 o Instituto dos Pupilos do Exército.

Em 2011, o número de alunos a frequentar os dois estabelecimentos de ensino era de 752.

Dos 704 alunos do Colégio Militar, 430 são rapazes e 274 são raparigas, estando em regime de internato 271 alunos e 100 alunas.