Os deputados do PSD vão poder votar livremente sobre os diplomas que alargam aos casais de pessoas do mesmo sexo o direito de adoção de crianças, anunciou esta quinta-feira o líder parlamentar social-democrata.

«Decidimos, como, aliás, era expectável e foi sempre tradição do PSD, que haverá liberdade de voto sobre essas votações», declarou Luís Montenegro aos jornalistas.

O líder parlamentar falava na Assembleia da República, no final de uma reunião da bancada social-democrata, referindo-se a projetos de lei do BE, do PEV e do PS que vão ser discutidos em plenário na próxima quarta-feira.

«É sabido que a grande maioria dos deputados do PSD são contra essa alteração legal», frisou, no entanto, o líder parlamentar do PSD.

Montenegro teceu ainda críticas à «insistência», no seu entender injustificada, na reapresentação de diplomas para alargar a adoção aos homossexuais. «Há aqui uma repetição da iniciativa que não tem justificação, porque não houve nenhuma alteração significativa no parlamento», considerou.

«Esta é a quarta circunstância nesta legislatura em que o parlamento é chamado a tomar posição. Houve uma votação de rejeição em 2012, houve uma votação de rejeição em 2013 e houve uma votação de rejeição em 2014», referiu, segundo a Lusa.