O PSD considerou que os dados divulgados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre as exportações demonstram um abrandamento da economia e que são um reflexo do caminho escolhido pelo atual Governo.

“Do nosso ponto de vista, este abrandamento é um abrandamento da economia e naturalmente as implicações que tem no crescimento são evidentes e ao mesmo tempo é um reflexo do próprio caminho escolhido, em termos de políticas económicas, pelo atual Governo”, afirmou, em declarações à agência Lusa, o deputado Luís Leite Ramos.

Segundo o INE, em março de 2016, as exportações de bens diminuíram 3,9% e as importações de bens decresceram 0,8% face a março de 2015.

Nos dados divulgados esta terça-feira, o INE refere também que o défice da balança comercial de bens registou um acréscimo homólogo de 133 milhões de euros em março de 2016.

No primeiro trimestre de 2016, as exportações de bens diminuíram 2% e as importações de bens cresceram 1% face ao período homólogo, acrescentou o INE.

Para o também vice-presidente do PSD, no caso das exportações há uma “preocupação adicional” relacionada com a greve dos estivadores.

“O que nós vimos a assistir é que os efeitos da greve continuada por parte dos estivadores em Lisboa também têm contribuído para a quebra de confiança por parte dos agentes económicos e constitui um contributo ainda mais difícil para deteriorar a situação nas exportações”, afirmou Luís Leite Ramos.

De acordo com Luís Leite Ramos, a situação no Porto de Lisboa tem vindo a afastar empresas e agentes, o que representa um “sinal negativo a juntar-se a muitos outros” do caminho que o atual Governo está a “trilhar em matéria de política económica”.