O ministro da Presidência disse que o Governo respeitará sempre o direito à greve, mas lembrou que a dureza das medidas a que Portugal continua sujeito decorre da situação que o atual executivo herdou.

Questionado sobre o anúncio de mais uma greve geral para 8 de novembro, Luís Marques Guedes lembrou que as greves são um direito dos trabalhadores e que cabe às centrais sindicais definir os momentos e os fundamentos com que tomam esse tipo de decisões.

Da parte do Governo, acrescentou, esse direito será sempre respeitado.

«É um direito constitucional inalienável. Mais do que constitucional, é um direito fundamental numa sociedade democrática», afirmou Marques Guedes, que falava aos jornalistas na conferência de imprensa realizada no final da reunião semanal do Conselho de Ministros.

O ministro da Presidência enfatizou, contudo, que a dureza das medidas a que os portugueses estão sujeitos «não decorre da situação atual».

«Este Governo está a tentar resolver o problema que herdou», disse.