A Presidência da República vai assinalar em 2014 o 40º aniversário do 25 de Abril de 1974 com uma conferência internacional sobre a data e centrada «no espírito da democracia, a cultura de compromisso e os desafios do desenvolvimento».

Apresentada esta quinta-feira em Belém, a conferência, que integra os Roteiros do Futuro da Presidência da República, tem como tema as Rotas de Abril e convida os portugueses a refletirem «sobre os novos caminhos que se pretendem trilhar, de forma a concretizar o espírito que presidiu à instauração da democracia em Portugal».

A iniciativa foi apresentada no Palácio de Belém pelo comissário das conferências, João Lobo Antunes, e o coordenador dos Roteiros do Futuro, David Justino.

A realizar na primavera, embora ainda sem data confirmada, esta será a terceira conferência no âmbito dos Roteiros do Futuro, seguindo-se a uma iniciativa dedicada ao desenvolvimento demográfico e uma outra, já este ano, sobre o posicionamento estratégico de Portugal na Europa e no mundo.

A conferência de 2014 será dividida em três eixos temáticos: democracia, compromisso e desenvolvimento, com compromisso a substituir descolonização nos «três D» da revolução de Abril, assinalou David Justino.

No primeiro eixo, revelou a Presidência, pretende-se identificar o espírito dos ideais fundadores do regime democrático, ao passo que no eixo do compromisso destacar-se-á esse elemento como «base indispensável ao desenvolvimento do regime, à governabilidade e ao aumento da confiança cívica, quer entre os agentes políticos e as instituições, quer na representação que os cidadãos fazem desses agentes e instituições».

No eixo dedicado ao desenvolvimento de Portugal, será dada «particular atenção» aos desafios colocados pela «emergência de uma sociedade de conhecimento», como disso é exemplo «o impacto do valor do conhecimento sobre as estruturas produtivas e a competitividade das empresas portuguesas no mercado global».

O modelo da conferência «manterá o recurso ao confronto de perspetivas de quem, do exterior, observa Portugal» e de quem dentro do país «tem desenvolvido pensamento inovador e prospetivo sobre os problemas da sociedade portuguesa», como conta a Lusa.

Em cada painel haverá um convidado português e um convidado internacional que abordarão os três eixos temáticos assinalados por Belém.