O candidato Cândido Ferreira sugeriu esta quarta-feira que a sua adversária na corrida presidencial Maria de Belém deve desistir da candidatura, questionando o percurso profissional e político da ex-deputada e ex-ministra da Saúde.

Numa carta aberta dirigida a Maria de Belém e divulgada à comunicação social, Cândido Ferreira sublinha que a ex-deputada “não hesitou em acumular o ordenado que legitimamente recebia, pago pelo suor dos portugueses, com avenças de privados, entre elas a que até há pouco lhe era paga por Ricardo Salgado”.

“A honra do Presidente da República tem de ser inquestionável e o simples facto de ter sido avençada do `Dono Disto Tudo´, nestas circunstâncias, deveria fazê-la pensar duas vezes antes de se alcandorar ao mais alto cargo da nação”, defendeu Cândido Ferreira, sugerindo que desista da candidatura.


Cândido Ferreira considerou que "uma nobre atitude de consciência" seria "desistir desta sua veleidade, em favor de outrem que, podendo colher apoios em toda a sociedade, possa interpretar os desejos de estabilidade e de mudança por que os portugueses anseiam e assim impedir a perpetuação das forças conservadoras na Presidência da República”, escreveu.

O candidato, ex-presidente da Federação da Distrital do PS de Leiria, atacou o percurso profissional e político de Maria de Belém, considerando que, no exercício de funções governativas, a candidata “nunca demonstrou ter qualquer ideia nova para Portugal, limitando-se a gerir influências e interesses”.

Na opinião do candidato, “ressalta de todo o passado” de Maria de Belém, “um clamoroso esbanjar de dinheiros públicos”.

Também numa carta aberta, divulgada na semana passada, Cândido Ferreira já tinha pedido ao candidato Sampaio da Nóvoa que desista da corrida, alegando que não merece o lugar.