O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, classificou como «uma missão e peras» a visita oficial que fez nos últimos três dias ao México, onde foram assinados contratos e memorandos com empresas portuguesas de valor superior a 3 mil milhões de dólares.

 

«Acho que foi uma missão e peras», disse Paulo Portas, pouco antes do seu regresso a Portugal onde irá apresentar, a partir de quinta-feira, o Orçamento do Estado, após ter liderado, juntamente com o ministro da Economia, António Pires de Lima, uma delegação empresarial ao México, que integrou mais de 50 empresas portuguesas.

 

Os contratos de investimentos e de exportações e memorandos de entendimento foram celebrados por empresas como a Mota-Engil, JP Sá Couto, Janz, GLN, Efacec e Teixeira Duarte.

 

No regresso a Portugal Paulo Portas leva a condecoração Aguila Azteca Gran Cruz, o mais alto reconhecimento dado a um cidadão estrangeiro. O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Luís Campos Ferreira foi condecorado num grau abaixo, pelo trabalho desenvolvido em matéria de direitos humanos.

 

A «missão e peras» de Paulo Portas ficou a dever-se também à resolução de uma questão que estava até agora pendente no setor agroalimentar: «Assinamos ontem um acordo agrícola e resolvemos um problema que estava pendente da exportação de pera portuguesa e maçã portuguesa para o México e a missão que mais tarde nos permitirá exportar carne», explicou.

 

A visita chegou ao fim com uma breve incursão naquela que é a primeira exposição de fotografia permitida pelo Governo mexicano em pleno Paseo de la Reforma, uma das principais e mais movimentadas avenidas da cidade do México.

 

Ao longo de mais de um quilómetro, 120 fotografias ilustram como «Portugal Te Marca», mostrando a cultura, o património, a gastronomia, as ondas da praia da Nazaré, onde Garret Macnamara surfou a maior onda do mundo, o Portugal histórico e o Portugal moderno.

 

A exposição foi inaugurada por Luís Campos Ferreira a 24 de outubro, o dia em que Portugal inaugurou a primeira embaixada no país e se comemoram os 150 anos das relações diplomáticas dos dois países.

 

«Isto tem um valor incalculável em termos de imagem e criação de ambiente e atmosfera entre os dois países. Por aqui, passam todos os dias milhões de pessoas», disse.