"Os gestos de proteção dos portugueses [sobretudo os mais desfavorecidos] nestes últimos quatro anos vieram, em primeiro lugar, da Constituição, de decisões do Tribunal Constitucional", disse Sampaio da Nóvoa num encontro com jornalistas em Câmara de Lobos, zona oeste da ilha, no decurso da visita de apresentação da sua candidatura na região autónoma.








"É importante que o façam com frontalidade e com coragem, isto é, que sejam candidaturas para ser levadas a sério, com determinação, e não apenas jogos ou espetáculos", declarou, realçando que "já começa a ser tarde" para um candidato se apresentar às eleições presidenciais.


"Seria extremamente errado, e eu nunca o farei, como candidato a presidente da República, limitar de algum modo, ou condicionar as opções democráticas que os portugueses tomarão em sede de legislativas. A única coisa que digo é que como presidente da República eu saberei interpretar e respeitar os resultados das eleições", afirmou.


"Parece-me que a situação atual configura uma situação equilibrada, sem prejuízo de evoluções futuras que possam vir a revelar-se necessárias", declarou.