Cerca de meia centena de trabalhadores e sindicalistas do setor têxtil concentraram-se esta sexta-feira em protesto contra o corte dos direitos e redução dos salários junto à empresa Riopele, em Famalicão, a qual vai ser visitada pelo Presidente da República.

À chegada de Cavaco Silva, os manifestantes apuparam o chefe de Estado e ouviram-se gritos que pediam «demissão».

A fábrica vai ser esta sexta-feira visitada por Aníbal Cavaco Silva, no âmbito da quarta jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica.

Na manifestação constam bandeiras da CGTP e dos sindicatos do têxtil com os manifestantes a reclamarem a «mudança de governo», «mais emprego», «mais salários e mais direitos», como reporta a Lusa.

Segundo o Sindicato do Têxtil do Minho e Trás-os-Montes, o novo acordo coletivo de trabalho, que está em negociação, irá «roubar os trabalhadores», designadamente os feriados do Carnaval e o municipal e a majoração de três dias de férias.

No âmbito do Roteiro para uma Economia Dinâmica, Cavaco Silva vai ainda vai visitar hoje o Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI), o Centro Tecnológico Têxtil e Vestuário (CITEVE) e participa numa sessão de homenagem ao setor do têxtil e vestuário e comemorativa dos 50 anos da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), onde fará uma intervenção.