O líder do PS, António Costa, reafirmou que a vitória do Syriza na Grécia «é mais um sinal da mudança» na Europa, mas recusou comentar o resultado dos socialistas do PASOK, com apenas 4,68% dos votos.

«Sobre as eleições na Grécia eu já falei ontem [domingo], mas acho que é mais um sinal da mudança que está em curso na Europa».


O secretário-geral do PS foi três vezes questionado pelos jornalistas sobre a reduzida votação do PASOK, partido histórico que esteve várias vezes no Governo de Atenas, e parceiro do PS português na Internacional Socialista.

«Hoje estamos aqui para falar daquilo que é uma prioridade para o desenvolvimento do país», disse, frisando que, nesta visita a Oliveira do Hospital, deu «prioridade ao crescimento de Portugal» e à «aposta na valorização do território».

António Costa afirmou que «há condições em Portugal» para que os municípios do interior participem no crescimento económico do país e contribuam para fixar os jovens.

«No interior, é possível fixar e atrair jovens quadros e mobilizar o seu saber e conhecimento para inovar e para permitir criar maior crescimento.»


Na visita à sede da Associação BLC3 – Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior Cento, o secretário-geral socialista foi acompanhado pelo presidente da instituição, o investigador João Nunes, por um dos fundadores do PS, António Campos, e pelo seu filho e deputado Paulo Campos, dois impulsionadores do projeto.

«Este é mais um exemplo de como há condições em Portugal para, com políticas corretas, apostar na valorização do nosso território.»


Para António Costa, a BLC3 demonstra que é possível «transformar toda esta zona do interior como um contributo positivo para o crescimento económico» do país, com vantagens ainda «para a fixação dos quadros».

Na sua opinião, o desenvolvimento de Portugal passa por «não desperdiçar essa enorme riqueza que são os jovens», os quais importa «mobilizar para a valorização do território» e dos produtos locais.

«Uma das prioridades para o crescimento do país é a valorização do território», o que, na sua opinião, permitirá «transformar um problema numa enorme oportunidade».

Na visita a Oliveira do Hospital, António Costa teve ainda como companhia o presidente e o vice-presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino, independente eleito pelo PS, e José Francisco Rolo, dirigente local do partido, respetivamente.