O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, disse hoje, em Valpaços, que não quer valorizar «episódios laterais» relativamente às comemorações dos 40 anos do 25 de Abril, esperando que estas decorram com «toda a dignidade».

Questionado sobre as declarações da presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, quanto à participação da Associação 25 de Abril nas comemorações, o governante não quis «fazer nenhum comentário particular».

«Não quero valorizar episódios laterais, ainda para mais numa data como esta, em que vamos comemorar 40 anos do 25 de Abril, e espero que as comemorações possam decorrer com toda a dignidade e também com toda a valorização que devemos atrair a um simbolismo tão importante quanto este», sublinhou.

Na quinta-feira, Assunção Esteves declarou que convidou a Associação 25 de Abril para estar presente, «e só», na sessão solene comemorativa da revolução e que se os militares impõem a condição de falar na cerimónia «o problema é deles».

No mesmo dia, o presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço, afirmou que está a ser ponderada a realização de uma iniciativa em que seja proferida a intervenção que os capitães de Abril queriam fazer na sessão solene no parlamento.

Passos Coelho, que falava à margem de uma visita a Valpaços, salientou que respeita plenamente todo programa que foi idealizado ao nível da Assembleia da República.

O primeiro-ministro lembrou a «feliz coincidência» de se estar a comemorar o 25 de Abril «praticamente ao mesmo tempo da conclusão do programa de assistência económica e financeira e numa altura em que, depois de anos de grandes dificuldades, finalmente as pessoas começam a ver uma perspetiva de melhoria no seu horizonte».

«Devemos valorizar estes aspetos e esta data e (...) que todas as pessoas, independentemente da ideologia política que professem, consigam, numa data tão relevante quanto é esta, pôr questões menores no seu devido sítio e atribuir importância à comemoração institucional que deve ter lugar no parlamento, que é a casa da democracia», sublinhou.