O presidente da Associação Nacional de Sargentos defendeu esta sexta-feira que todas as homenagens a Salgueiro Maia «não são demais» e saudou a união entre o povo e os militares de Abril.

«Sempre que o povo e os seus militares se juntam, os objetivos do 25 de Abril ficam mais próximos», disse à Lusa o presidente da Associação Nacional de sargentos, António Lima Coelho.

A Associação não esteve presente na evocação a Salgueiro Maia, hoje de manhã, no Largo do Carmo, por ser a anfitriã de um congresso internacional de associações de setor, mas Lima Coelho afirmou «que todas as homenagens que façam a Salgueiro Maia nunca são demais».

O presidente da associação de sargentos falava à Lusa no início do desfile do 25 de Abril, junto ao Marquês de Pombal, em Lisboa.

«Quarenta anos depois do 25 de abril, estamos a assistir a retrocessos tão graves nas questões fundamentais da Constituição, o direito à saúde, à alimentação, à pensão, a existirem enquanto cidadão que todas as homenagens a Salgueiro Maia e a todos os que hoje defendem a Constituição não são demais», afirmou.