O secretário-geral do PS, António Costa, assistiu aos festejos da noite de São João do lado de Gaia, um ano depois de ter estado no Porto, e trocou a atualidade política pela temática das sardinhas e das marteladas.

“É com enorme prazer que assisto ao São João em Gaia, o ano passado estive do lado de lá e para o ano veremos, talvez fique no meio da ponte [Luiz I]”, disse António Costa, em tom de brincadeira.


O líder socialista, que não assistiu ao encontro dos autarcas do Porto e Gaia na ponte Luiz I, numa cerimónia simbólica para assinalar a união das duas cidades nesta festividade, andou entre a multidão a levar marteladas, a posar para as fotos e a distribuir beijos.

Durante o percurso, o socialista elogiou a relação entre Gaia e Porto, a vivência popular, a alegria das pessoas e a qualidade das sardinhas.

Depois de uma sardinhada no Cais de Gaia, num jantar promovido pela autarquia, António Costa assistiu ao concerto da fadista Mariza e, às 00:00, ao espetáculo de fogo-de-artifício, tendo depois seguido para a Avenida dos Aliados, no Porto, a pé.

“Não estou perdido não, sei muito bem o meu caminho”, afirmou o líder socialista aos jornalistas.


Entre a multidão, António Costa ia ouvindo “força”, “boa sorte” ou “saúde” e houve, ainda, quem lhe chamasse “próximo primeiro-ministro de Portugal”.

Na caminhada até ao Porto, onde à 01:00 se realizou um concerto de José Cid, António Costa teve quem lhe perguntasse como tencionava baixar a Taxa Social Única (TSU) sem aumentar os impostos.

Em 2014, o presidente da Câmara de Gaia contou com a presença de António José Seguro nos festejos de São João, três meses antes de este ter perdido as eleições primárias do PS para Costa que, nessa mesma noite, se juntou ao autarca do Porto.

A Câmara de Gaia é presidida pelo socialista Eduardo Vítor Rodrigues. Do outro lado, o independente Rui Moreira assinou com o PS um acordo pós-eleitoral para garantir a governabilidade da cidade e tomou posse numa cerimónia que contou com a presença de António Costa.

No início do mês, o autarca do Porto afirmou que nas próximas eleições legislativas não apoiará qualquer candidato ou candidatura. O independente negou então a hipótese de a coligação com o PS na câmara ficar beliscada por não apoiar o candidato socialista às legislativas, António Costa.