"Somos favoráveis à redução de propinas. Seriamos até, noutras condições económicas, favoráveis à sua eliminação. Não pode continuar esta situação em que os estudantes passam de ano e não se podem inscrever no próximo ano letivo porque não conseguem pagar as propinas. Isso tem que parar", afirmou Rui Tavares, cabeça de lista por Lisboa durante uma ação de campanha em Braga.


"Há uma situação de precariedade no Ensino Superior, cerca de metade dos investigadores e professores são precário, isto no Ensino Superior público, se juntarmos o privado são cerca de 80%", disse.