A Assembleia da República aprovou por unanimidade um voto de condenação aos ataques terroristas perpetrados pelo Boko Haram nas últimas semanas na Nigéria e nos Camarões.

O voto de condenação aprovado pelo parlamento português manifesta ainda «esperança de que a condenação já emitida pelo Conselho de Segurança contra o Boko Haram se traduza em ações eficazes e solidárias de toda a comunidade internacional».

No texto aprovado, os deputados consideram que os últimos ataques do Boko Haram «demonstram como esta organização terrorista jihadista está a intensificar a ferocidade, a brutalidade e a crueldade dos seus ataques, destabilizando a nação com maior densidade populacional no continente africano, e a procurar consolidar o seu poder com vista à imposição de um autoproclamado califado islâmico, estendi a sua influência e ações a países vizinhos».

A resolução da Assembleia da República refere-se ao massacre perpetrado na cidade nigeriana de Baga, em que, de acordo com dados estimados pela Amnistia Internacional e outras organizações não-governamentais, mais de duas mil pessoas terão sido assassinadas e 20 mil desalojadas.

Poucos dias depois, o mesmo grupo armadilhou com explosivos uma rapariga de dez anos e fê-la explodir num mercado de Maiduguri, no Estado de Borno, tendo ainda ocorrido outros atentados e raptos nos últimos dias em diferentes regiões da Nigéria e nos Camarões.