O partido LIVRE e a candidatura cidadã Tempo de Avançar, que concorrerão juntos às legislativas, definem as suas listas de candidatos em junho, contando já com mais de 100 pessoas, além de Rui Tavares e Ana Drago.

A par do antigo eurodeputado independente pelo BE e da ex-parlamentar bloquista, também fazem já fazem parte do rol de 138 "proto-deputados" o filho de um dos anunciados candidatos à Presidência da República, Sampaio da Nóvoa, o advogado Ricardo Sá Fernandes, a médica e antiga ativista das Brigadas Revolucionárias Isabel do Carmo, o economista José Castro Caldas ou o dirigente da Renovação Comunista Paulo Fidalgo.

Segundo fonte do LIVRE/Tempo de Avançar, que antecipa "a candidatura do dobro dos candidatos atuais até ao final do prazo estabelecido", esta quinta-feira, basta que haja outras 12 pessoas que as subscrevam para a respetiva formalização, através da Internet.

As eleições primárias vão decorrer em todo o país em 20 e 21 de junho, através de voto em urnas, ficando então definidas as listas que irão concorrer ao sufrágio ainda por agendar para entre 14 de setembro e 14 de outubro, pelo Presidente da República, em julho.

Tomando o exemplo do historiador-antropólogo André Sampaio da Nóvoa, especializado em geografia humana e transportes e que, aos 30 anos, divide a sua vida entre Oeiras e Boston, EUA, cada candidato escolhe três círculos eleitorais para concorrer às primárias, neste caso: Fora da Europa, Europa e Lisboa.

Por exemplo, a primeira escolha de Rui Tavares e Ana Drago foi Lisboa, enquanto Ricardo Sá Fernandes "corre", primariamente, pelo Porto e Isabel do Carmo em Setúbal, onde terá a concorrência da atriz São José Lapa, entre outros.

A participação nas primárias está aberta a todos os interessados, bastando subscrever os princípios programáticos para ter "voto na matéria", sem necessidade de se filiar como "membro" do partido ou simples "apoiante".

"A minha candidatura nasce do cansaço. Do cansaço de ver amigos em situações de precariedade extrema. Do cansaço de ver conhecidos a emigrar contra a sua vontade", revela o filho do ex-reitor da Universidade de Lisboa, na página virtual de candidato (tempodeavancar.net), na qual expressa ainda fadiga por "ver amigas a engravidar e a serem despedidas por causa disso", "avós com pensões cortadas", "um país a achar natural a perda de direitos" ou "um Governo a vender ao desbarato tudo o que é público, sem pensar duas vezes" e até "das mentiras eleitorais", "das intrigas politiqueiras" e "clientelismo partidário".

Depois de apurados os candidatos a deputados à Assembleia da República, o LIVRE/Tempo de Avançar vai organizar um congresso, "em princípio a 28 de junho, em Lisboa", mas, antes disso, "o programa eleitoral, que já está a ser elaborado, será apresentado e aprovado, numa convenção, ainda por agendar", segundo a mesma fonte.

No I Congresso do LIVRE, em 5 de outubro de 2014, o atual secretário-geral do PS, António Costa, na altura apenas vencedor das primárias socialistas contra António José Seguro, discursou no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, tal como Ana Drago e Paulo Fidalgo.

O partido da "papoila" foi legalizado pelo Tribunal Constitucional em 20 de março de 2014, a tempo de concorrer às europeias de 25 de maio, nas quais obteve mais de 70.000 votos (2,81%).

O LIVRE/Tempo de Avançar, formalizado em abril para disputar as legislativas com a sigla "L/TDA", congrega ainda muitas das personalidades da esquerda envolvidas no «Manifesto 3D» («Dignidade, Democracia e Desenvolvimento») e Congresso Democrático das Alternativas, como o sociólogo Boaventura Sousa Santos ou a mulher do Nobel da Literatura, José Saramago, a hispânica Pilar del Rio.