O ministro da Defesa saudou a nomeação de Anabela Rodrigues para o Ministério da Administração Interna, lembrando que já trabalhou com a nova ministra quando esta era diretora do Centro de Estudos Judiciários.

Aguiar-Branco acredita que «qualquer observador atento e qualquer observador isento não deixará de reconhecer que [Anabela Rodrigues] é uma excelente escolha, que tem uma competência e qualificação muito acima da média, e por isso vai valorizar e ser um valor acrescentado para o próprio governo».

O ministro elogiou ainda Passos Coelho, porque teve «a rapidez necessária para que não houvesse perturbação» e escolheu alguém «com um currículo invejável», «que por onde tem passado tem mostrado toda a sua competência» e que vai ser «uma ótima ministra da Administração Interna, que vai seguramente prestigiar e muito a função que vai exercer».

À saída de uma reunião de ministros da Defesa da União Europeia, questionado sobre a demissão de Miguel Macedo, manifestou a sua amizade e solidariedade para com o ex-ministro, que, a seu ver, «deu as explicações que deveriam ser dadas», e preferiu salientar a «ótima escolha» do chefe de Governo para ocupar o cargo deixado vago.

Questionado sobre se considera que este era o momento para uma remodelação governamental mais abrangente, Aguiar-Branco disse que essa é uma responsabilidade exclusiva do chefe de Governo, e defendeu que Passos Coelho «mostrou hoje mais a sua capacidade de liderança», ao ser capaz de «recrutar pessoas de elevado calibre e mérito afirmado» na sociedade portuguesa para integrar o Governo.