"Não temos uma posição que nos permita sozinhos governar, e por isso é que estamos abertos e empenhados, desde o primeiro momento, numa atitude séria de negociação com o partido que comunga com os partidos da coligação dos valores essenciais da nossa democracia e do projeto internacional".




"Nessa mesma carta, o PS não apresenta qualquer metodologia que permita ser base do desenvolvimento futuro de negociações. Nem sequer apresenta a solicitada contraproposta que concretizasse a base séria de uma negociação estruturada com o PS e que permitisse que a coligação pudesse a partir daqui com o PS sentar-se à mesa com grupos de trabalho e desenvolver essa negociação de forma temática".









"Da nossa parte, haverá sempre uma atitude construtiva para um diálogo efetivo, e iremos responder a essa carta".

"Transparência e veracidade" das contas públicas




"insinuações graves" de António Costa





"Digo isto com muita preocupação".


"É inaceitável que a meio de um processo negocial se lance estas atoardas injustificadas para tentar criar sombras na opinião pública que não têm o mínimo fundamento".




"Nada do que foi dito de parte a parte justifica estas insinuações graves. Tentam lançar dúvidas injustificadas e infundadas sobre as contas públicas portuguesas, sobre a sua transparência e sobre real situação económica do país".