O primeiro-ministro, António Costa, disse hoje que o Governo acompanha o surto de ‘legionella’ "com grande consternação e pesar" em relação às vítimas mortais e "com preocupação a evolução" do estado de saúde dos doentes.

"O senhor ministro da Saúde está precisamente neste momento a fazer um ponto de situação no Hospital São Francisco Xavier. O Governo tem acompanhado com grande consternação e pesar relativamente às pessoas que faleceram e com preocupação a evolução do estado de saúde de todos", respondeu aos jornalistas António Costa.

O chefe do Governo respondia a questões à chegada para um encontro com investidores internacionais, um evento paralelo à Web Summit, promovido pela AICEP.

O primeiro-ministro sublinhou que "foram já tomadas medidas para esclarecer tudo aquilo que aconteceu".

"Mas neste momento [ao final da tarde] o ministro da saúde está precisamente a fazer o ponto da situação e melhor do que eu ele está em condições de responder", remeteu.

Já o líder parlamentar do PSD, Hugo Soares, acusou hoje o Estado de "falhar onde não pode falhar", no Serviço Nacional de Saúde, referindo-se ao surto de 'legionella' no Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.

No final de uma reunião com a administração do hospital, Hugo Soares afirmou que o partido irá aguardar pelas análises que estão a ser feitas sobre as causas do surto, mas manifestou já uma certeza.

"O Estado falhou, falhou onde não pode falhar, dentro do Serviço Nacional de Saúde (SNS). As pessoas vêm cá para se curar e, ao contrário, neste caso vieram cá para adoecer, duas até já morreram", lamentou o líder da bancada do PSD.

Hugo Soares, que encabeçou a delegação do PSD que esteve hoje no Hospital São Francisco Xavier, manifestou ainda a solidariedade do partido "com os excelentes profissionais que tudo estão a fazer para que esta situação se possa resolver", desejou rápidas melhoras aos doentes e deixou uma palavra aos familiares das vítimas mortais.

Sobre a necessidade de fazer alterações legislativas, como já defendeu hoje o Bloco de Esquerda, o líder parlamentar do PSD remeteu uma posição para depois de serem conhecidas as causas do surto mas manifestou a convicção de que "a legislação atual é mais do que suficiente".

Hugo Soares recusou ainda que o anterior executivo PSD/CDS tenha acabado com quaisquer auditorias obrigatórias à qualidade do ar interior e à pesquisa de presença de colónias de 'legionella´ em edifícios com climatização.

"Não só as auditorias não acabaram, como a legislação do anterior Governo veio até aprofundar o controlo quanto a surtos de 'legionella'", defendeu, considerando que "chega a ser ridículo" que os partidos de esquerda procurem responsabilizar o Governo anterior por tudo o que de mau acontece no país.