"O PCP sustenta, como o seu programa eleitoral sublinha, que é absolutamente necessário inverter a lógica atual e as prioridades que levam a existir mais orçamento para o combate do que para a prevenção", afirmou o membro do comité central comunista Francisco Pereira, em conferência de imprensa, na sede nacional do PCP, em Lisboa.


"Verifica-se que as ocorrências passaram de 4.165 para 10.340, os reacendimentos de 189 para 616 e a área ardida de 7.575 hectares para 28.780 hectares", continuou, sublinhando que 300 mil hectares de área ardida de um total de um milhão da última década registaram-se "na vigência deste Governo".