A Procuradoria-Geral da Republica (PGR) disse esta quinta-feira à Lusa ter recebido os resultados da auditoria forense ao BES, adiantando que a mesma já foi enviada ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

«O Ministério Público tem recebido das entidades reguladoras documentação e informações várias que são objeto de análise com vista à adoção, no âmbito das suas competências, dos procedimentos legalmente previstos. Todos os casos em que existe queixa ou indiciação de factos suscetíveis de integrar crimes são objeto de investigação. Os inquéritos respeitantes ao universo Espírito Santo encontram-se em Segredo de Justiça», explica a PGR numa nota enviada à agência Lusa, em resposta a um pedido de esclarecimento.

Uma auditoria pedida pelo Banco de Portugal à consultora Delloite conclui que a gestão de Ricardo Salgado praticou pelo menos quatro atos dolosos de gestão ruinosa e 21 desobediências às determinações do Banco de Portugal: no total, são pelo menos 30 os ilícitos detetados na autoria da Deloitte às contas do Grupo Espírito Santo, pedida pelo supervisor.

A análise da consultora centra-se entre dezembro de 2013 e julho de 2014. Esta é a primeira de cinco partes de um relatório elaborado pela Delloite e que foi entregue ao BdP.