«Aquelas propostas enquadram-se na linha da Estratégia Antiterrorista da União Europeia, complementada pela Estratégia da União Europeia de Combate à Radicalização e ao Recrutamento para o Terrorismo, assim como de outra legislação internacional de particular relevância», acrescenta o texto.