O grupo parlamentar do PCP anunciou esta terça-feira que vai avançar para a realização de iniciativas com responsáveis de outros países sobre a renegociação das dívidas soberanas, após o primeiro-ministro ter já recusado a ideia.

«O PCP irá apresentar um projeto de resolução propondo a realização de uma conferência intergovernamental, integrada num conjunto de iniciativas do Estado português no plano internacional, visando a renegociação da dívida e a revogação do Tratado Orçamental», declarou o deputado comunista, João Oliveira, no final das jornadas parlamentares, em Aveiro.


Passos Coelho, confrontado com a proposta do novo primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, de realização de uma conferência intergovernamental sobre a renegociação da dívida, recusou qualquer participação na mesma, sexta-feira, durante o debate quinzenal.

O líder parlamentar comunista lembrou que o PCP já tinha avançado com a ideia de juntar esforços a outros países na mesma situação de Portugal em junho de 2011.

«Nós já vínhamos propondo isso há muito tempo», recordou João Oliveira, citando o projeto de resolução comunista apresentado em junho de 2011, por ocasião da primeira iniciativa do PCP de renegociação da dívida: «Previa já a intervenção junto de outros países que enfrentam problemas similares de dívida pública - Grécia, Irlanda, Itália, Espanha, Bélgica -, visando uma ação convergente destinada a barrar a atual espiral especulativa e a construir uma resposta de fundo ao estrangulamento económico e social».

Segundo o líder parlamentar comunista, «propositadamente», não se fechava «o quadro da convergência com outros países porque, para lá de conferências intergovernamentais, pode haver necessidade de outro tipo de ações entre países que sofrem do mesmo problema».

João Oliveira explicou que os comunistas vão também realizar várias audições públicas descentralizadas em todo o país sobre estas matérias.