A comissão política do PSD/Açores aprovou esta sexta-feira a lista de candidatos às legislativas nacionais deste ano, que é encabeçada pela secretária de Estado da Defesa Nacional, Berta Cabral.

A lista foi aprovada na reunião da direção do PSD/Açores que está a decorrer em Ponta Delgada e revelada pelo presidente do partido, Duarte Freitas, numa declaração em que não respondeu a perguntas dos jornalistas.

Segundo disse Duarte Freitas, a lista foi aprovada por voto secreto e teve um voto contra e quatro abstenções, tendo agora de ser ratificada pelo Conselho Regional do PSD/Açores, que se reunirá a 15 de maio.

Para além de Berta Cabral, ex-presidente do PSD/Açores e da Câmara Municipal de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, integra a lista social-democrata açoriana, no segundo lugar, o deputado no parlamento regional e presidente do PSD da Terceira, António Ventura.

O terceiro nome é Rosa Dart, vice-presidente do PSD do Faial e o quarto é Joaquim Machado, presidente dos TSD/Açores e também deputado na Assembleia Legislativa regional.

Confirma-se assim que pela primeira vez o ex-presidente do Governo Regional João Mota Amaral não será candidato a deputado na Assembleia da República pelos Açores, ao contrário da vontade manifestada pelo próprio. Também os outros dois deputados do PSD eleitos pelos Açores, Lídia Bulcão e Joaquim Ponte, não voltam a ser candidatos.

"A comissão política regional, também por voto secreto e com um voto contra apenas, decidiu, na continuação do processo de renovação que tem caracterizado o PSD/Açores, propor ao Conselho Regional uma renovação integral da lista de candidatos à Assembleia da República", disse Duarte Freitas, na declaração que fez aos jornalistas.


Duarte Freitas acrescentou que a direção do PSD/Açores "agradece o trabalho desenvolvido em defesa dos açorianos e dos Açores pelos [atuais] deputados sociais-democratas açorianos".

Quanto aos novos candidatos à Assembleia da República, que pela primeira vez são mais mulheres do que homens, garantiu que "assumem igualmente o compromisso de defesa intransigente" dos Açores, "de dedicação exclusiva ao parlamento" e "reforço das relações de grande proximidade com os açorianos em todas as ilhas".

A comissão política do PSD/Açores decidiu ainda, por unanimidade, não se coligar com o CDS-PP no arquipélago, numa decisão tomada também por voto secreto, segundo Duarte Freitas.

Até agora, é conhecido mais um cabeça de lista pelos Açores nas eleições deste ano: Carlos César, presidente do PS e ex-presidente do Governo Regional, foi o nome escolhido pelos socialistas açorianos.