O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional afirmou esta sexta-feira que o Governo está a fazer um «esforço enorme» para que os primeiros financiamentos do próximo quadro europeu de apoio possam entrar na economia no segundo semestre de 2014.

«Esperamos estar em condições de atribuir os primeiros financiamentos [do próximo quadro de apoio - QREN] no segundo semestre de 2014. É o objetivo com o qual nos comprometemos porque é um objetivo fundamental para o país», afirmou Miguel Poiares Maduro.

O governante, que falava em Braga, durante a apresentação do livro «Fundos Europeus 2014/2020», da autoria do eurodeputado José Manuel Fernandes, sublinhou que, no contexto «de forte exigência orçamental e financeira que Portugal continua a viver», os fundos do próximo quadro de apoio «serão um instrumento fundamental» para a economia nacional.

«É por isso que estamos a fazer um esforço enorme para termos o próximo conjunto de fundos disponíveis para entrar na nossa economia o mais rapidamente possível», acrescentou, lembrando que no último QREN «Portugal demorou dois anos» até os primeiros financiamentos serem atribuídos.

Poiares Maduro reafirmou que «a prioridade das prioridades» dos próximos fundos será a competitividade da economia, pelo que os «principais destinatários» do dinheiro serão as empresas.

A inclusão social e o emprego surgirão em segundo lugar na lista das prioridades, seguindo-se a qualificação dos recursos humanos, neste caso com uma aposta especial na administração pública local.

«Aos meios financeiros escassos que serão postos à disposição de Portugal cabe-nos dar o maior valor acrescentado», rematou.