O ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou esta segunda-feira que é «com trabalho que se consegue relançar a economia portuguesa», criticando aqueles que lançam «cantos de sereia para o futuro».

Pires de Lima falava à Lusa em Bogotá, depois de um encontro com potenciais investidores colombianos, no mesmo dia em que se reuniu com as principais instituições financeiras do país.

«Numa altura em que parece que proliferam os cantos de sereia em Portugal dando nota de facilidades de crescimento económico nos anos que aí veem, precisamente às vezes até de forças com responsabilidades especiais nos momentos que vivemos nos últimos anos e que permanentemente estão a lançar uma espécie de mau-olhado, queria dizer o seguinte: é com investimento e atraindo investimento a Portugal» que se relança a economia.

«É apoiando as empresas portuguesas no seu processo de internacionalização que se pode e se está a criar riqueza em Portugal, empresas como aquelas que estamos a visitar hoje, na Colômbia, e amanhã [terça-feira] também», quer nos setores das tecnologias, passando pela distribuição com a Jerónimo Martins, ou pela construção com a Mota-Engil. São «empresas que pelo seu exemplo de internacionalização estão a ajudar também a criar riqueza para Portugal», apontou o governante.

Importante também, destacou António Pires de Lima, é apostar na atração do investimento para Portugal.

«É isso que estamos a dedicar o dia hoje, a atrair investimento para Portugal», sublinhou.

Portugal «está a começar a crescer do ponto de vista económico de forma mais sustentável, porque fomos capazes de atrair grandes investimentos», disse Pires de Lima, dando os exemplos da alemã Volkswagen, da sueca Ikea, que "acabou de anunciar a criação de 3.000 postos de trabalho em Portugal até 2018", ou mesmo a brasileira Embraer, tendo o ministro estado no Brasil há 15 dias.

A Embraer está a «investir fortissimamente com mais de 2.000 pessoas a trabalhar em Portugal», sublinhou.

O ministro destacou ainda os investidores colombianos e peruanos, que na sua deslocação aos dois países está a tentar atrair para Portugal.

«É com este trabalho, que dá trabalho, não bastam palavras, não bastam intenções, já tivemos muitas intenções» na década passada «que acabaram como acabaram, é com trabalho que se consegue relançar a economia portuguesa», rematou.

«Quem lança cantos de sereia para o futuro está permanente a lançar mau-olhado sobre aquilo que estamos a fazer», que não inclui apenas o Governo, mas também «os portugueses e os investidores que estão a acreditar em Portugal e sobre todo este trabalho que estamos a aqui fazer para atrair investimento e apoiar as empresas portuguesas na sua internacionalização», concluiu o governante.

Pires de Lima está em Bogotá até terça-feira, onde terá contactos governamentais, com instituições e com empresas portuguesas presentes no país.